CAPITALISMOS

CAPITALISMO FINANCEIRO

Significado

O capitalismo financeiro é um sistema econômico, subtipo do capitalismo, que surgiu no começo do século XX e apresenta como característica principal a subordinação dos meios de produção para a acumulação de dinheiro e obtenção de lucros através do mercado financeiro (ações, produtos financeiros, títulos, derivativos e mercado de câmbio). O capitalismo financeiro está presente na economia mundial até os dias de hoje.

Principais características

– Forte presença, na primeira metade do século XX, de empresas (indústrias, comércios e finanças) monopolizadoras;

– Integração do capital industrial ao bancário;

– Busca de lucros expressivos no mercado financeiro, através da negociação de ações, moedas, derivativos e outros produtos financeiros;

– Fortalecimento do sistema de empréstimos e financiamentos para aquisição de bens (imóveis, carros e outros produtos);

– Fortalecimento das bolsas de valores;

– Surgimento de empresas multinacionais (transnacionais);

– Aumento da importância dos bancos na vida das empresas e pessoas. Dependência para pagar contas, obter empréstimos e financiamentos, investimentos e outras atividades financeiras.

– Aumento da especulação financeira nos mercados;

– Aumento dos lucros dos bancos, financeiras, corretoras de seguros e corretoras que operam com ações nas bolsas de valores;

– Surgimento e valorização de profissões voltadas para o mercado financeiro;

– Surgimento, uso e dependência de sistemas tecnológicos nas operações financeiras.

Crises

O capitalismo financeiro já enfrentou duas fortes crises.

testeA primeira delas ocorreu em 1929 com a Quebra da Bolsa de Valores de Nova Iorque. A desvalorização das ações das empresas norte-americanas ocorreu de forma rápida e significativa. Muitas empresas foram a falência e a crise se espalhou pelos países capitalistas do mundo todo.

A outra crise foi recente e ainda espalha pelo mundo suas consequências negativas. Surgiu nos Estados Unidos, em 2008, com o estouro da bolha imobiliária e a desvalorização de produtos financeiros presentes nas carteiras de diversos bancos norte-americanos e europeus. A crise  gerou falências, além de diminuir o crescimento econômico em diversos países e aumentar o desemprego nos EUA e na Europa.

FONTE: http://www.suapesquisa.com/capitalismo/capitalismo_financeiro.htm

CAPITALISMO INDUSTRIAL

Significado – o que foi

O capitalismo Industrial foi a segunda fase do desenvolvimento do capitalismo. Teve início com a Primeira Revolução Industrial do século XVIII, avançando até o século XIX com a Segunda Revolução Industrial. A Inglaterra é considerada o berço desta fase do capitalismo, pois foi neste país que teve início o processo de revolução industrial.

Principais características

– Atividades industriais como principal fonte de negócio e lucros. Destaque para a indústria têxtil.

– Concentração de renda nas mãos da burguesia industrial (grandes donos de indústrias);

– Alta desigualdade social, pois os lucros ficavam quase integralmente com os donos de indústrias que pagavam salários muito baixos para os operários;

– Evolução nos meios de produção com a invenção e uso de máquinas a vapor. Aumento da produção com custo mais baixo.

– Uso do carvão como fonte de energia e ferro como principal matéria-prima;

– Desenvolvimento de meios de transporte (locomotivas e navios a vapor) rápidos e de longas distâncias para atender a logística.

– Uso nas indústrias de mão-de-obra assalariada;

– Salários baixos, poucos direitos trabalhistas e exploração de mão-de-obra infantil. Grande parte dos operários vivia em péssimas condições sociais.

– Êxodo rural – saída de trabalhadores do campo para buscar empregos nas indústrias das cidades;

– Crescimento desordenado das cidades industriais europeias com piora na qualidade de vida e surgimento de problemas sociais;

– A partir da segunda metade do século XIX, o capitalismo industrial cresceu em outros países como, por exemplo, França, Bélgica, Alemanha, Holanda, Estados Unidos e Japão;

– No final do século XIX começou a surgir as empresas multinacionais com a união do capital industrial com o financeiro (principalmente bancos). Ocorreu neste contexto, a formação de monopólios em vários setores da economia, organizados e mantidos pelas grandes indústrias.

Neocolialismo e Imperialismo

Como forma de ampliar o mercado consumidor e obter novas fontes de matérias-primas, as principais potências econômicas europeias conquistaram países na Ásia e África. Além de impor o modo de vida europeu nas regiões colonizadas, os europeus vendiam seus produtos e exploravam recursos minerais e vegetais nestes países. Foi uma forma de expandir o capitalismo no século XIX.

Você sabia?

– O socialismo surgiu no século XIX como oposição ao capitalismo industrial. Os socialistas propunham uma modelo econômico e social baseado na igualdade social, com o controle dos meios de produção realizado pelos trabalhadores das fábricas. Karl Marx foi o principal representante do socialismo.

FONTE: http://www.suapesquisa.com/capitalismo/capitalismo_industrial.htm

CAPITALISMO INFORMACIONAL

Conceito (o que é)

Também conhecido como capitalismo cognitivo, é um conjunto de doutrinas e práticas econômicas relacionadas à terceira fase de desenvolvimento do capitalismo e que tem como mola propulsora o acúmulo e uso de conhecimentos, principalmente, na área de tecnologia da informação (TI).

História

O capitalismo informacional surgiu na década de 1950, com o avanço da globalização econômica. Porém, ganhou grande impulso no final do século XX com o avanço da Tecnologia da Informação, principalmente, com o aumento das transações comerciais via Internet.

O capitalismo informacional tem como referência as empresas de tecnologia que se desenvolveram no Vale do Silício (Califórnia), a partir do final do século XX.

Vale dizer que este nova fase do capitalismo não aboliu nem mesmo diminuiu o desenvolvimento industrial e comercial, típicos das fases anteriores deste sistema econômico. Pelo contrário, o desenvolvimento da tecnologia da informação foi de fundamental importância para a melhoria dos processos produtivos utilizados pelos setores da indústria e comércio.

Principais características:

– Grande importância dos sistemas de computadores, principalmente dos interligados através de redes como, por exemplo, a Internet.

– Valorização das empresas que produzem conhecimentos atrelados ao desenvolvimento tecnológico (computadores, videogames, smartphones, notebooks, tablets, softwares, aplicativos, redes sociais, sistemas de buscas entre outros).

– Uso de mão-de-obra especializada e qualificada. Valorização da mão-de-obra jovem com amplo conhecimento tecnológico e desenvolvimento criativo.

– Surgimento e desenvolvimento de pequenas empresas especializadas em desenvolvimento de softwares e aplicativos. Estas empresas, em sua fase inicial, são conhecidas como startups.

– Grande valorização da criatividade e de conhecimentos amplos dentro das empresas.

– Valorização e aumento da produção e comercialização de produtos tecnológicos.

Mudanças sociais provocadas pelo capitalismo informacional:

– Aumento significativo na troca de ideias e informações através, principalmente, dos sites de relacionamentos sociais.

– Crescimento da dependência tecnológica, principalmente com relação à necessidade de estar conectado e ativo na rede. Este fato faz com que muitas pessoas “percam” grande quantidade de tempo em redes sociais.

– Aumento da quantidade de informações recebidas pelas pessoas em seu dia-a-dia.

A questão do emprego

Com o advento do capitalismo informacional houve uma significativa diminuição dos postos de trabalhos em áreas em que o computador apresentou-se como solução. Um bom exemplo é o corte nos postos de trabalho de caixas de bancos com o aumento da utilização da Internet (Home Banking) por parte dos clientes.

Dentro do contexto deste novo modelo econômico, houve um deslocamento de oportunidades de trabalho de profissões tradicionais para aqueles ligadas à tecnologia da informação.

Infelizmente esta nova fase do capitalismo não conseguiu eliminar um dos principais problemas sociais do mundo contemporâneo: a desigualdade econômica. O problema da distribuição de renda desigual e injusta ainda continua presente, principalmente, nos países emergentes como, por exemplo, o Brasil.

Teórico principal

O principal estudioso e também o desenvolvedor do conceito de capitalismo informacional é o sociólogo espanhol Manuel Castells, autor do livro “A sociedade em rede” (publicado em 2006).

FONTE: http://www.suapesquisa.com/economia/capitalismo_informacional.htm

CAPITALISMO X SOCIALISMO

Principais diferenças entre o Capitalismo e o Socialismo

– Capitalismo: liberdade econômica (livre concorrência) com pouca intervenção do governo na economia.
– Socialismo: falta de liberdade econômica com grande intervenção do governo na economia.

– Capitalismo: salários dos trabalhadores definidos pelo mercado.
– Socialismo: salários controlados e definidos pelo governo.

– Capitalismo: preços dos produtos são definidos pela lei da oferta e procura.
– Socialismo: preços controlados pelo governo.

– Capitalismo: investimentos nos setores da economia feitos pelo Estado e também pela iniciativa privada.
– Socialismo: investimentos feitos apenas pelo Estado.

– Capitalismo: existência de desigualdades sociais, principalmente nos países em desenvolvimento.
– Socialismo: baixa desigualdade social.

– Capitalismo: existência de classes sociais, definidas, principalmente, pela condição econômica das pessoas.
– Socialismo: inexistência de classes sociais.

– Capitalismo: meios de produção (fábricas, fazendas) e bancos nas mãos de particulares (propriedade privada).
– Socialismo: fábricas, fazendas, bancos controlados pelo governo.

– Capitalismo: valorização e existência do lucro nos negócios, que ficam para o(s) proprietário(s).
– Socialismo: a renda derivada da produção é socializada entre os trabalhadores.

– Capitalismo: existência de pobreza e miséria em grande parte dos países.
– Socialismo: o governo garante o necessário (educação, saúde, alimentação) para a sobrevivência das famílias. Baixíssimo índice de pobreza.

– Capitalismo: sistemas de educação e saúde público e privado.
– Socialismo: sistema de educação e saúde público.

Observação: as características apontadas são baseadas nas experiências dos países que aplicaram na prática o capitalismo e o socialismo. Foram considerados aspectos econômicos e sociais na comparação.

FONTE: http://www.suapesquisa.com/capitalismo/capitalismo_socialismo.htm

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s