18 coisas que seu pé “fala” sobre sua saúde!

Problemas nos pés que não são resolvidos podem ter consequências graves e inesperadas. Dores que não são tratadas muitas vezes levam as pessoas a limitar seus movimentos e, consequentemente, a ganhar peso. Ou então, mudam a forma de se equilibrar aumentando a chance de cair e quebrar um osso.

Os pés mandam mensagens de aviso quando alguma coisa não vai bem. A seguir, vamos ver cada uma desas mensagens de acordo com o site especializado em saúde caring.com.

1) Alerta: as unhas dos pés apresentam ligeira depressão, ficando em forma de colher

O que isso significa: anemia (deficiência de ferro). As unhas dos pés se apresentam em uma forma não natural, côncava, em forma de colher, especialmente nos casos de moderado a grave. Isso é causado pela falta de hemoglobina, a responsável pelo transporte do oxigênio no sangue. Hemorragia interna (úlcera) ou períodos menstruais pesados podem provocar anemia.

Outras pistas: Os dedos, assim como os pés, podem ficar mais pálidos. Também é possível que as unhas fiquem mais frágeis e a sensação de frio nos pés se torne mais intensa. A fadiga é o sinal número um da anemia. Outros sintomas são falta de ar, tontura ao levantar e dor de cabeça.

O que fazer: um exame de sangue chamado hemograma é normalmente usado para fazer o diagnóstico. Uma exame clínico pode ser suficiente para diagnosticar a causa. O tratamento geralmente envolve a mudança na dieta adicionando alimentos que auxiliam a absorção de ferro (com mais vitamina C), alimentos com mais ferro ou mesmo suplementos dessa substância.
2) Alerta: pés ou dedos carecas

O que isso significa: a má circulação, geralmente causada por alguma doença vascular, pode fazer com que o cabelo desapareça dos pés. Quando o coração perde a capacidade de bombear sangue suficiente para as extremidades por causa da arteriosclerose, o corpo, de forma natural, prioriza seu uso. Dedos peludos, dessa forma, ficam em segundo plano.

Outras pistas: o suprimento reduzido de sangue também torna mais difícil sentir o pulso nos pés. Isso pode ser verificado na parte superior do pé ou na parte interna do tornozelo. Quando você está de pé, seus pés podem ficar avermelhados ou brilhantes. Quando elevados, ficam imediatamente pálidos. As pessoas com má circulação tendem a ter uma doença cardiovascular, mas podem não perceber que já estão com problemas.

O que fazer: tratar os problemas vasculares pode fazer melhorar a circulação. Os cabelos no pé raramente retornam.

3) Alerta: cãibras frequentes

O que isso significa: a cãibra, ou seja, a contração de um músculo, pode ser desencadeada por circunstâncias passageiras como exercícios ou desidratação. Todavia, se isso acontece com muita frequência, pode indicar que sua alimentação não tem suficiente cálcio, potássio ou magnésio. Mulheres grávidas, especialmente no terceiro trimestre, são mais vulneráveis a isso por causa do aumento do volume sanguíneo e da diminuição da circulação para os pés.

Outras pistas: as cãibras podem vir do nada, mesmo quando você está deitado. A dor pode permanecer por muito tempo.

O que fazer: tente flexionar o pé e massageie a área dolorida. Se for possível, relaxe o músculo aplicando uma compressa fria ou álcool. Para evitar a cãibra, estique os pés antes de ir para a cama. Em seguida, beba um copo de leite quente (que aumentará os níveis de cálcio).

4) Alerta: uma ferida que não cicatriza na parte inferior do pé

O que isso significa: é um grande sinal para diabetes. Os níveis de glicose muito elevados no sangue podem levar a danos nos nervos dos pés. Isso faz com que mesmo pequenos arranhões, cortes ou irritações causados por pressão ou fricção muitas vezes passem despercebidos por quem desconhece a doença. Se não forem tratadas, essas feridas podem levar à infecção ou mesmo à amputação.

Outras pistas: cortes com cheiro desagradável e corrimentos são especialmente suspeitos, pois podem estar lá há algum tempo. Outros sintomas de diabetes são sede persistente, vontade de urinar frequente, aumento da fadiga, visão embaçada, fome extrema e perda de peso.

O que fazer: tratar a ferida e consultar um médico para fazer a avaliação de diabetes. Os diabéticos têm que inspecionar os pés diariamente. Idosos e obesos precisam de alguém para fazer isso por eles. O acompanhamento de um profissional de saúde periódico também é necessário.

5) Alerta: pés gelados

O que isso significa: especialmente no caso das mulheres há relatos de pés frios (ou gelados) vindos de seus companheiros. Pode não ser nada, mas é possível que indique um problema de tireóide. Mulheres com mais de 40 anos de idade e que têm pés frios muitas vezes apresentam subfuncionamento da glândula que regula a temperatura e o metabolismo corporal. A má circulação (em ambos os sexos) é outra causa possível.

Outras pistas: os sintomas de hipotireoidismo são muitos e bastante sutis. Aparecem em diversas doenças. Entre eles estão fadiga, depressão, ganho de peso e pele seca.
O que fazer: para aumentar o calor na região, use materiais naturais como meias de lã e botas forradas. Se você tem outros problemas de saúde, mencione os pés frios para o médico. No caso de o problema da tireóide ser constatado, é uma condição para qual existe tratamento.

6) Alerta: unhas feias, grossas e amareladas

O que isso significa: uma infecção fúngica pode estar acontecendo debaixo da unha. A onicomicose pode persistir por anos no local sem causar dor. No momento em que está visível, pode se espalhar por todas as unhas dos pés ou mesmo das mãos.

Outras pistas: as unhas podem cheirar mal e ficar escuras. Pessoas diabéticas, que tenham problemas circulatórios ou distúrbios de deficiência imunológica (como artrite reumatóide), costumam ser mais afetadas, assim como quem é mais velho. As unhas ficam mais difíceis para cortar.

O que fazer: consulte um especialista em tratamento de pés ou seu médico para ver qual o melhor tratamento. Remédios antifúngicos não são tão eficazes quanto uma combinação de medicamentos tópicos e a remoção das partes doentes. Uma nova geração de medicamentos orais apresenta menos efeitos colaterais do que remédios tradicionais.

7) Alerta: aumento do tamanho do dedão

O que isso significa: provavelmente gota. Embora a doença possa parecer antiquada, você não precisa ter 65 anos para obtê-la. Gota é uma forma de artrite geralmente causada por excesso de ácido úrico, uma substância natural.

Outras pistas: inchaço, pela vermelha ou arroxeada e brilhante, juntamente com sensação de calor e dor. Pode ocorrer no peito do pé, no tendão de Aquiles, joelhos e cotovelos. Qualquer pessoa pode desenvolver gota, embora homens entre 40 e 50 anos sejam mais propensos a ter a doença. Mulheres geralmente tendem a ter gota no período pós-menopausa.
O que fazer: é preciso consultar um médico para controlar os fatores que causaram a gota através de dieta e medicação. Um especialista em pés pode ajudar a aliviar a dor e preservar a função do órgão.

8) Alerta: dormência nos dois pés

O que isso significa: ser incapaz de “sentir” os pés é uma característica de neuropatia periférica, causada por danos no sistema nervoso. O corpo transmite informações a partir do cérebro pela medula espinhal para o resto do organismo. A neuropatia periférica, que interfere nessa transmissão, tem várias causas, mas as duas principais são a diabetes e o abuso de álcool. Outra causa bastante frequente é a quimioterapia.

Outras pistas: o formigamento ou queimação pode aparecer também nas mãos e gradualmente se espalhar para braços e pernas. A sensação é capaz fazer com que você se sinta como se estivesse usando meias ou luvas grossas todo o tempo.

O que fazer: procure um médico para identificar a causa. Não há cura para a neuropatia periférica, mas medicamentos podem tratar os sintomas.

9) Alerta: dores nas articulações dos pés

O que isso significa: a artrite reumatóide é uma doença articular degenerativa que muitas vezes é sentida pela primeira vez nas articulações menores, como os dedos dos pés ou das mãos.

Outras pistas: inchaço e rigidez geralmente acompanham as dores. A dor tende a ser simétrica. Ou seja, aparece simultaneamente nos dois dedões ou em ambos indicadores. A doença se desenvolve de repente e os ataques surgem e desaparecem sem explicação. As mulheres são mais afetadas que os homens na proporção de quatro por um.
O que fazer: um exame completo é necessário para identificar a causa da dor nas articulações. Há medicamentos e terapias para minimizar a dor e preservar as funções da região. Quanto mais cedo o diagnóstico, maior a chance de o tratamento funcionar.

10) Alertas: buracos nas unhas

O que isso significa: aproximadamente metade de pessoas com psoríase, uma doença de pele, apresentam pequenos buracos nas unhas, que podem ser um pouco mais profundos ou apenas superficiais. Mais de três quartos das pessoas que sofrem de artrite psoriática, uma doença que afeta as articulações e a pele, também têm esses pequenos buracos nas unhas.

Outras pistas: as unhas das mãos ou dos pés ficam mais grossas, podem adquirir coloração amarelo-acastanhada ou manchas cor de salmão. A junta mais próxima da unha pode ficar mais seca, vermelha ou mesmo inflamada.
O que fazer: há uma grande variedade de medicamentos para o tratamento de psoríase e artrite psoriática. Quanto mais cedo for feito o diagnóstico, maior a chance de sucesso.

11) Alerta: ser incapaz de levantar o pé a partir do calcanhar

O que isso significa: uma doença chamada gota no pé ou, popularmente, pé caído. Lesão muscular que pode ser originada tanto na região ou até mesmo no ombro ou no pescoço. Esse problema pode ser causado também por algumas drogas usadas durante a quimioterapia que criam dificuldade para levantar a parte dianteira do pé durante a caminhada.

Outras pistas: pode existir dor ou dormência. Por vezes a dor é sentida na parte superior da perna ou inferior da coluna, onde um nervo é comprimido seja por lesão ou tumor. Em muitos casos, o pé é arrastado quando a pessoa caminha. Raramente os dois pés são afetados.
O que fazer: há necessidade de cuidados médicos. A gota do pé pode ser revertida, dependendo de sua causa, com tratamento. Por vezes há necessidade do uso de uma cinta para evitar dores nas costas.

12) Alerta: pele seca e escamosa

O que isso significa: mesmo que suas mãos ou rosto tendam a ter pele seca, não minimize esse fato se ele ocorrer no pé. Você não precisa ser um atleta para contrair uma condição chamada de pé de atleta, uma infecção causada por fungos que geralmente começa com o ressecamento da pele dos pés, coceira e, em seguida, evolui para inflamação e formação de bolhas. Assim que as bolhas de rompem, a infecção se espalha. O nome vem dos lugares úmidos onde o fungo prospera, como vestiários e piscinas, locais em que os atletas tendem a se reunir.

Outras pistas: normalmente o pé de atleta aparece primeiro entre os dedos. Depois, espalha-se para a sola e outras partes do corpo como axilas e virilhas, geralmente devido a arranhões.
O que fazer: casos mais leves podem ser tratados sem auxílio médico. Basta lavar os pés várias vezes e secá-los completamente. O uso de antiséptico em sapatos e meias pode ajudar. Se não houver melhora em duas semanas ou a infecção se agravar nesse período, o médico pode prescrever remédios.

13) Alerta: dedos que ficam coloridos

O que isso significa: no tempo de frio, a doença de Raynaud, também chamada de fenômeno de Raynaud, faz com que as extremidades mudem de cor. Primeiro ficam brancas, depois, azuis e, finalmente, vermelhas, antes de retornarem ao tom natural. Por razões ainda desconhecidas, os vasos dessas áreas têm espasmos espontâneos provocando essa reação.

Outras dicas: outras áreas comumente afetadas são o nariz, lábios e lóbulos das orelhas. Também geram sensação de frio ao serem tocadas e ficam dormentes. Mulheres e pessoas que vivem em climas mais frios são mais propensos à doença. Geralmente a condição aparece antes dos 25 anos e depois dos 40. O estresse pode desencadear os ataques.

O que fazer: procure um médico para uma avaliação mais profunda. A doença pode ser desconfortável, mas geralmente não é perigosa. Pode ser sinal de que existe uma condição auto-imune paralela.

14) Alerta: pés que doem para valer ao andar

O que isso significa: fraturas por estresse não diagnosticadas são uma causa comum de dor no pé.O desconforto pode ser sentido nos lados dos pés, na sola ou no pé inteiro. Essas fraturas, que muitas vezes acontecem repetidamente, eventualmente são causadas por outra condição como osteopenia (diminuição da densidade óssea ideal – que acontece especialmente em mulheres com mais de 50 anos), desnutrição, deficiência de vitamina D, problema para absorção de cálcio ou anorexia.

Outras pistas: mesmo com dor é possível andar com ossos quebrados. Há casos de pessoas que só foram diagnosticadas um ano após a fratura.

O que fazer: consulte um médico sobre qualquer dor.

15) Alerta: dedos que incham e perdem seu formato habitual

O que isso significa: quando a ponta dos dedos dos pés incha ao ponto de eles perderem seu ângulo habitual, isso é chamado de baquetamento diginal. É um sinal de doença pulmonar. Tal situação foi descrita por Hipócrates, considerado o pai da médicina, há mais de dois mil anos. Doenças do coração e algumas condições gastrointestinais também estão associadas da esse inchaço.

Outras pistas: pode acontecer nos dedos das mãos ou pés. A manifestação pode ser em apenas um dedo ou em todos.

O que fazer: O tratamento vai depender da causa. Então, é preciso procurar um médico para descobrir a origem da doença.

16) Alerta: uma dor como se fosse um tiro no calcanhar

O que isso significa: fascite plantar. É a inflamação que ocorre na faixa de tecido conjuntivo (fascia) ao longo da parte inferior (plantar) do pé. É o estiramento do tecido além de sua extensão normal.

Outras pistas: a dor intensa surge quando você dá os primeiros passos na parte da manhã. É geralmente concentrada no calcanhar de um dos pés ou em ambos, mas pode ser sentida também no arco ou na parte posterior do pé. É maior o risco se andar muito descalço, usar sapatos velhos, se percorrer superfícies duras ou se ganhou peso.

O que fazer: no caso de a dor persistir por algumas semanas ou se intensificar, procure um médico ou podólogo. Use sapatos baixos até obter conselhos para tratamentos, que podem incluir medicamentos e palmilhas.

17) Alerta: mau cheiro

O que isso significa: o mau cheiro (hiperidrose) tende a causar mais alarme que a grande maioria dos sintomas. Todavia, o odor raramente é um sinal de que algo está errado fisicamente. Os pés têm mais glândulas sudoríparas do que qualquer outra parte do corpo. Cerca de meio milhão, somados os dois. E algumas pessoas são mais propensas a suar que as outras. Junte-se a isso os sapatos, as meias, as bactérias normais e está criado o ambiente propício para o mau cheiro.

Outras pistas: nem precisa. O olfato é suficiente.

O que fazer: lavar os pés com sabão antibacteriano e secá-los bem. Esfregue maisena nas solas. Jogue as meias usadas na lavagem. Sempre vista um par limpo. Use materiais naturais (meias de algodão, sapatos de couro).

18) Alerta: sapatos velhos

O que isso significa: Perigo! Se você usa os mesmos sapatos todos os dias, em dois anos eles já percorreram milhares de quilômetros. Logo, seus pés já não têm o apoio que precisam. Os calçados se desgastam mais rápido do que a maioria das pessoas pensam.

Outras pistas: bolhas (muito apertado), joanetes (muito estreito), dor no calcanhar (apoio não é suficiente). Se você tem algum tipo de problema no pé, há uma boa chance de a culpa ser da má qualidade de seu calçado.

O que fazer: compre um sapato novo mais confortável e anatomicamente mais adequado.

Material original: Aqui (howstuffworks)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s