Churros

Este aroma flutuando no ar, este carrinho com uma multidão ao redor, na beira do mar, o que pode ser? É o carrinho de churros!!! O churreiro vai fritando os pedaços e jogando-os ainda fervendo em cima da travessa com açúcar, às vezes misturado com canela. Ele pergunta do recheio. Cada um escolhe o seu: simples, doce de leite, chocolate. Hum! Uma delícia e tão crocante!!!

Esta cena pode se repetir em muitas praias, feiras, eventos populares, saídas de escolas, etc… Na praia de Riviera de São Lourenço, o churreiro inova. Ele mergulha o churro recheado nos granulados de chocolate branco ou preto e a fila faz a volta da van. É difícil encontrar quem não goste.

O churros é uma iguaria que existe há muitos séculos. Sua origem é incerta. Alguns dizem que foram os portugueses que trouxeram a receita, quando voltavam da China na época da dinastia Ming. Outros dizem que foram os árabes que a trouxeram, quando invadiram a península ibérica. Outros ainda, afirmam que foram os pastores espanhóis que inventaram a receita, porque era fácil de fazer no alto das montanhas onde eles não conseguiam obter pão fresquinho e outros produtos de padaria.

Qualquer que seja sua origem, o churros, agora, é considerado tipicamente espanhol. Também é popular na América Latina, França, Portugal, Estados Unidos, México, Venezuela, Colômbia e nas ilhas Caribenhas de língua espanhola. Em vários destes países é consumido no café da manhã com uma xícara bem quente de chocolate ou com café com leite, e, ao contrário do Brasil, sem recheio.

É preparado com massa à base de farinha de trigo e água, em formato cilíndrico injetada numa espécie de seringa de metal grande e enviada para a forma de fritar, o que lhe confere seu aspecto estriado. Após ser frito em óleo vegetal, em seguida é mergulhado no açúcar (opcionalmente misturado com canela). Parece um spaghetti mais gordinho ou uma grande espiral. Em várias regiões o nome é diferente: em Sevilha é chamado de calentito, em Jaén de tallo e em Granada de tejeringo. Mas a palavra “churros” é a mais conhecida.

Em Cuba pode ser encontrado, recheado de fruta (a guava=goiaba), na Argentina, Peru, Chile e México com “dulce de leche” ou “cajeta”   ou então chocolate e baunilha, e no Uruguai às vezes com queijo derretido.

Qualquer que seja o nome, o formato ou o recheio, é delicioso. Experimente. Nunca mais vai conseguir resistir.

 

Página Original – Acesso